: :
os agilistas

ENZIMAS #22 Progresso Concreto

ENZIMAS #22 Progresso Concreto

os agilistas
: :
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite. Este é mais um episódio de Enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. É interessante que tanto sob a perspectiva do agilismo, das metodologias ágeis, quanto sob a perspectiva de sistemas complexos, que falam muito em sense responding, em comportamentos emergentes, a gente vê que uma condição básica para que um time possa gerar valor e para que ele possa ter sucesso é que ele consiga testar a realidade, o que em inglês eles falam probe, você tem que conseguir realmente fazer experimentos e testar a realidade. E o que acontece, na prática, muito em empresas que estão adotando o ágil é não testar essa realidade de fato. O que acontece muito é as empresas se apoiarem em algumas desculpas para não colocar em produção as soluções digitais que elas estão desenvolvendo. É óbvio que uma empresa grande tem muito mais a perder do que uma startup para tentar colocar as coisas em produção. Mas isso não pode ser uma muleta para que ela não faça isso o mais rápido possível. Então uma coisa que para a gente aqui na DTI é muito importante é medir qual é o progresso concreto de um squad. Progresso concreto vai ser o que? Progresso concreto é colocar a solução em produção. Idealmente, seria mais do que isso, seria medir os resultados de negócio dessa solução em produção. Mas, em uma primeira etapa, de alguém que nem está conseguindo colocar o software em produção, já seria muito bom pelo menos colocar uma meta agressiva de sempre, em curto prazo, com cadência, ter o progresso concreto colocando o produto digital em produção.
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite. Este é mais um episódio de Enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. É interessante que tanto sob a perspectiva do agilismo, das metodologias ágeis, quanto sob a perspectiva de sistemas complexos, que falam muito em sense responding, em comportamentos emergentes, a gente vê que uma condição básica para que um time possa gerar valor e para que ele possa ter sucesso é que ele consiga testar a realidade, o que em inglês eles falam probe, você tem que conseguir realmente fazer experimentos e testar a realidade. E o que acontece, na prática, muito em empresas que estão adotando o ágil é não testar essa realidade de fato. O que acontece muito é as empresas se apoiarem em algumas desculpas para não colocar em produção as soluções digitais que elas estão desenvolvendo. É óbvio que uma empresa grande tem muito mais a perder do que uma startup para tentar colocar as coisas em produção. Mas isso não pode ser uma muleta para que ela não faça isso o mais rápido possível. Então uma coisa que para a gente aqui na DTI é muito importante é medir qual é o progresso concreto de um squad. Progresso concreto vai ser o que? Progresso concreto é colocar a solução em produção. Idealmente, seria mais do que isso, seria medir os resultados de negócio dessa solução em produção. Mas, em uma primeira etapa, de alguém que nem está conseguindo colocar o software em produção, já seria muito bom pelo menos colocar uma meta agressiva de sempre, em curto prazo, com cadência, ter o progresso concreto colocando o produto digital em produção.