: :
os agilistas

ENZIMAS #61 Hierarquias Dinâmicas

ENZIMAS #61 Hierarquias Dinâmicas

os agilistas
: :
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite, esse é mais um episódio de Enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. M2: Pessoal, estou lendo um livro muito interessante, se chama Humanocracy, algo assim seria Humanocracia, do Gary Hamel e outro autor, um livro muito interessante que é um verdadeiro manifesto contra a burocracia. Eu achei interessante que num certo ponto ele fala sobre hierarquia de um jeito muito interessante. Ele fala “hierarquia não é algo necessariamente indesejável, ou não é algo necessariamente ruim, a questão é que as hierarquias que existem nas organizações são hierarquias estáticas, nas organizações tradicionais, e as hierarquias deveriam ser mais dinâmicas. E o que ele quer dizer com isso? ele quer dizer que é valido ter hierarquia sim, no sentido em que determinadas decisões obviamente algumas pessoas tem muita mais legitimidade para tomá-las do que outras, legitimidade essa por causa da experiência, por causa do conhecimento, mas o que acontece nas estruturas tradicionais? Alguém por algum motivo assumiu uma posição, uma vez que ele esteja naquela posição, ele começa a ter legitimidade para tomar qualquer tipo de decisão simplesmente porque ele está em uma posição alta da hierarquia, e não porque necessariamente ele fosse o melhor para tomar aquela decisão. Isso é muito interessante. Ele brinca no livro que um CFO, de repente, vira CEO e ai ele agora tem que ser estrategista e começa a tomar várias decisões sobre estratégias, sem falar que ele inclusive não acredita nessa visão que a estratégia é feita só lá em cima, mas isso é só um comentário  a parte, mas a mensagem que eu queria deixar aqui é isso, a gente não pode confundir o ambiente que a gente quer mais dinâmico com um ambiente onde não haja hierarquias que sejam legítimas e que sejam dinâmicas e que sejam constituídas no tempo das decisões. Se a gente tem um ambiente com muita transparência onde as pessoas realmente participam, onde fica claro para todos quem são as pessoas que tem mais autoridade para tomar certas decisões, isso vai acontecer naturalmente nos momentos e a empresa vai conseguir ser dinâmica e agir rápido, porque se você não tem essas hierarquias formadas quando necessário, você corre o risco de ficar imobilizado, discutindo as coisas, ou tendo pessoas que não deveriam tomar as decisões as tomando.
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite, esse é mais um episódio de Enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. M2: Pessoal, estou lendo um livro muito interessante, se chama Humanocracy, algo assim seria Humanocracia, do Gary Hamel e outro autor, um livro muito interessante que é um verdadeiro manifesto contra a burocracia. Eu achei interessante que num certo ponto ele fala sobre hierarquia de um jeito muito interessante. Ele fala “hierarquia não é algo necessariamente indesejável, ou não é algo necessariamente ruim, a questão é que as hierarquias que existem nas organizações são hierarquias estáticas, nas organizações tradicionais, e as hierarquias deveriam ser mais dinâmicas. E o que ele quer dizer com isso? ele quer dizer que é valido ter hierarquia sim, no sentido em que determinadas decisões obviamente algumas pessoas tem muita mais legitimidade para tomá-las do que outras, legitimidade essa por causa da experiência, por causa do conhecimento, mas o que acontece nas estruturas tradicionais? Alguém por algum motivo assumiu uma posição, uma vez que ele esteja naquela posição, ele começa a ter legitimidade para tomar qualquer tipo de decisão simplesmente porque ele está em uma posição alta da hierarquia, e não porque necessariamente ele fosse o melhor para tomar aquela decisão. Isso é muito interessante. Ele brinca no livro que um CFO, de repente, vira CEO e ai ele agora tem que ser estrategista e começa a tomar várias decisões sobre estratégias, sem falar que ele inclusive não acredita nessa visão que a estratégia é feita só lá em cima, mas isso é só um comentário  a parte, mas a mensagem que eu queria deixar aqui é isso, a gente não pode confundir o ambiente que a gente quer mais dinâmico com um ambiente onde não haja hierarquias que sejam legítimas e que sejam dinâmicas e que sejam constituídas no tempo das decisões. Se a gente tem um ambiente com muita transparência onde as pessoas realmente participam, onde fica claro para todos quem são as pessoas que tem mais autoridade para tomar certas decisões, isso vai acontecer naturalmente nos momentos e a empresa vai conseguir ser dinâmica e agir rápido, porque se você não tem essas hierarquias formadas quando necessário, você corre o risco de ficar imobilizado, discutindo as coisas, ou tendo pessoas que não deveriam tomar as decisões as tomando.