: :
os agilistas

ENZIMAS #77 Comece pequeno – Alexandre Azeredo

ENZIMAS #77 Comece pequeno – Alexandre Azeredo

os agilistas
: :
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite, esse é mais um episódio de enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. Alexandre Azeredo: Bom dia, boa tarde, boa noite, meu nome é Alexandre Azeredo, eu sou gerente de tecnologia da Amor e Energia, Amor e Energia é uma empresa de energia fotovoltaica que ela fabrica usinas, opera essas usinas e entrega essas usinas no estado de Minas Gerais. A Amore começou sua operação aproximadamente dois anos atrás e ela precisou fazer uma série de implementações de sistemas de montagem de infraestrutura de tecnologia própria e para que ela conseguisse entregar essa energia que ela fabrica e ela entrega, ela precisava de alguns sistemas e aconteceu de a gente ter que fazer uma série de implementações desses sistemas em paralelo e para que a gente conseguisse fazer essas implementações, uma abordagem tradicional não ia funcionar, a gente tinha um tempo muito pequeno e curto para que a gente fizesse todas essas implementações, então partimos para uma abordagem ágil de projetos para que a gente conseguisse parelizar e também para que a gente conseguisse fazer pequenas entregas para que o negócio pudesse começar operando todos esses sistemas que eles eram fundamentais para que o negócio pudesse fazer sua parte comercial, de operações, marketing, então a gente partiu para essa abordagem como MVP’s em cada um desses grandes marcos, cada um desses grandes projetos com entregas de valor continua e foi interessante observar que no princípio o que o negócio queria, era de fato uma abordagem mais Waterfall em que a gente teria uma grande entrega e a gente conseguiu, a medida que o tempo passava com esses pequenos projetos entregues, com essas pequenas sprints mostrar que uma abordagem ágil ela era muito mais rápida, entregava muito mais valor e ela entregava coisas que tinham muito mais sentido e além de tudo, o negócio não precisava ter uma longa espera para que tivesse um produto para que ele pudesse operar, uma vez que cada uma dessas entregas era um produto viável e ameida que a gente foi implementando, a mudança de mindset aconteceu de forma muito natural, então hoje a nossa camada gestora ela não consegue entender, conceber a ideia de um projeto acontecendo com uma única entrega em um tempo muito longo, então essa mudança foi bastante interessante e ela foi bastante perceptível uma vez que a gente fez todas essas pequenas entregas, então se a gente pudesse dar uma dica baseada na nossa experiência aqui na Amore é de que, você que está querendo mudar de fato o mindset da sua empresa, a ideia é que comece pequeno, comece com um projeto pequeno dentro da T.I, a T.I normalmente ela é orientada projetos, então fica mais fácil você tem uma série de projetos que você tem no seu (pai) [00:03:26] que você precisa implementar, então pega um projeto desse e fala: “Esse projeto aqui a gente vai utilizar uma abordagem ágil”, e começa a medir, ver o que a área de negócio acha, tenho certeza que eles vão gostar, vai ser uma experiência boa, você no mínimo vai ter uma aprendizagem enorme e vai conseguir fazer o uso das suas lições aprendidas para que você no próximo projeto consiga implementar ele de forma mais rápida gerando mais valor ainda e conseguir disseminar mais essa mentalidade ágil e a medida que você consegue disseminar essa mentalidade a área de negócio vai perceber e  os outros decisores das outras áreas vão perceber que isso de fato tem valor e fica mais fácil fazer essa implementação, então é isso gente, obrigado, um abraço a todos.
M1: Bom dia, boa tarde, boa noite, esse é mais um episódio de enzimas, breves reflexões que te ajudam a catalisar o agilismo em sua organização. Alexandre Azeredo: Bom dia, boa tarde, boa noite, meu nome é Alexandre Azeredo, eu sou gerente de tecnologia da Amor e Energia, Amor e Energia é uma empresa de energia fotovoltaica que ela fabrica usinas, opera essas usinas e entrega essas usinas no estado de Minas Gerais. A Amore começou sua operação aproximadamente dois anos atrás e ela precisou fazer uma série de implementações de sistemas de montagem de infraestrutura de tecnologia própria e para que ela conseguisse entregar essa energia que ela fabrica e ela entrega, ela precisava de alguns sistemas e aconteceu de a gente ter que fazer uma série de implementações desses sistemas em paralelo e para que a gente conseguisse fazer essas implementações, uma abordagem tradicional não ia funcionar, a gente tinha um tempo muito pequeno e curto para que a gente fizesse todas essas implementações, então partimos para uma abordagem ágil de projetos para que a gente conseguisse parelizar e também para que a gente conseguisse fazer pequenas entregas para que o negócio pudesse começar operando todos esses sistemas que eles eram fundamentais para que o negócio pudesse fazer sua parte comercial, de operações, marketing, então a gente partiu para essa abordagem como MVP’s em cada um desses grandes marcos, cada um desses grandes projetos com entregas de valor continua e foi interessante observar que no princípio o que o negócio queria, era de fato uma abordagem mais Waterfall em que a gente teria uma grande entrega e a gente conseguiu, a medida que o tempo passava com esses pequenos projetos entregues, com essas pequenas sprints mostrar que uma abordagem ágil ela era muito mais rápida, entregava muito mais valor e ela entregava coisas que tinham muito mais sentido e além de tudo, o negócio não precisava ter uma longa espera para que tivesse um produto para que ele pudesse operar, uma vez que cada uma dessas entregas era um produto viável e ameida que a gente foi implementando, a mudança de mindset aconteceu de forma muito natural, então hoje a nossa camada gestora ela não consegue entender, conceber a ideia de um projeto acontecendo com uma única entrega em um tempo muito longo, então essa mudança foi bastante interessante e ela foi bastante perceptível uma vez que a gente fez todas essas pequenas entregas, então se a gente pudesse dar uma dica baseada na nossa experiência aqui na Amore é de que, você que está querendo mudar de fato o mindset da sua empresa, a ideia é que comece pequeno, comece com um projeto pequeno dentro da T.I, a T.I normalmente ela é orientada projetos, então fica mais fácil você tem uma série de projetos que você tem no seu (pai) [00:03:26] que você precisa implementar, então pega um projeto desse e fala: “Esse projeto aqui a gente vai utilizar uma abordagem ágil”, e começa a medir, ver o que a área de negócio acha, tenho certeza que eles vão gostar, vai ser uma experiência boa, você no mínimo vai ter uma aprendizagem enorme e vai conseguir fazer o uso das suas lições aprendidas para que você no próximo projeto consiga implementar ele de forma mais rápida gerando mais valor ainda e conseguir disseminar mais essa mentalidade ágil e a medida que você consegue disseminar essa mentalidade a área de negócio vai perceber e  os outros decisores das outras áreas vão perceber que isso de fato tem valor e fica mais fácil fazer essa implementação, então é isso gente, obrigado, um abraço a todos.

Descrição

Se você já teve dificuldade em gerenciar um projeto, encarando problemas como atrasos ou mudanças inesperadas que acabaram com seu planejamento, você pode estar precisando implementar uma metodologia ágil na sua empresa. No enzimas de hoje, o Alexandre Azeredo, gerente de TI na Mori Energia, veio compartilhar com a gente o processo que eles passaram para implementar a metodologia ágil na Mori. Além de compartilhar essa implementação ele trouxe vários insights para nós!