Como fazer um roadmap na prática?
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Como fazer um roadmap de produto ou projeto: aprenda nesse passo a passo

Aprenda a como fazer um roadmap de produto ou projeto e garanta que seu cliente e time estejam alinhados durante todo o processo de construção da solução.

Como fazer um roadmap na prática?

Não definir uma estratégia de geração de valor para o cliente pode causar muitas dores de cabeça. Isso porque, a falta de foco para o que realmente importa pode resultar em atrasos e conflitos. Você não quer que seu time se sinta desmotivado ou sobrecarregado para entregar um projeto, não é?

Além de atrapalhar o processo criativo, a falta de organização em um produto ou projeto atrasa a inovação. Portanto, a melhor solução é você, como líder, criar um roadmap. Essa ferramenta vai nortear tanto sua relação com o time, quanto com o cliente.

Por isso, se você quer aprender como fazer um roadmap de produto ou projeto, continue lendo esse conteúdo robusto baseado no nosso Enzimas #142.

O que é um roadmap?

O roadmap é uma ferramenta-chave quando falamos em projetos ágeis. Isso porque, ele é quem garante a comunicação e disseminação da visão de produto.

É comum lidarmos com várias expectativas vindas dos stakeholders quando falamos em produtos digitais e é aí que o roadmap entra.

Essa ferramenta consegue demonstrar o progresso do andamento do produto, ajudando a controlar as expectativas geradas.

Qual a importância de se fazer um roadmap de produto ou projeto?

Basicamente, organização e menos ruído na comunicação. Então, quando se tem um estruturado, automaticamente a visão estratégica do negócio decola.

Isso quer dizer que, teremos uma visão compartilhada com o time e com o cliente. Enfim, essa ferramenta consegue mostrar, de fato, o que se está buscando com a solução proposta.

Assim, sem mais delongas, confira abaixo as três fases mais importantes na construção de um roadmap de produto ou projeto!

Como fazer um roadmap de produto ou projeto?

Agora que você já entendeu a importância de se fazer um bom roadmap, vamos aprender na prática como criar o seu? Aprenda a seguir usando as 3 camadas mais importantes!

1- Camada estratégica

Nessa camada, é comum utilizarmos o North Star Metric. Essa é a métrica mais importante a ser mensurada. Ela é a indicadora ou a métrica-chave que sinaliza o sucesso do negócio/produto.

Por exemplo, vamos analisar o caso do Spotify. Para eles, a North Star Metric é a quantidade de minutos ouvidos. Ou seja, quanto mais os ouvintes escutam o conteúdo, mais lucrativo está sendo o negócio.

Para dar suporte a essa métrica-chave, normalmente também se utiliza os KPI’s. Essas são métricas de performance, que comparam não só o resultado principal, mas o desempenho frente àquilo.

Ficou confuso, calma, a gente explica com um exemplo. Se o objetivo maior é aumentar o número de minutos ouvidos, mas o gasto para fechar com um cliente está alto, algo deve ser revisto.

Enfim, o KPI serve para fazer esse balanço do objetivo definido em comparação ao esforço de se chegar até ele. Com isso, podemos definir outras rotas ou analisar se vale a pena continuarmos no mesmo caminho.

2- Camada operacional

Nessa segunda camada, é uma fase mais direcionada ao time do produto a ser desenvolvido. Aqui, é quando se discute e se define como as coisas vão sair do papel.

O time vai tangibilizar a estratégia definida anteriormente e definir as famosas OKR’s. As Objectives and Key Results vão nortear as metas de curto prazo.

Lembra que na metodologia ágil a gente divide as tarefas em partes para não perdemos tempo? Então, são as OKR’s que nos garantem a evolução da construção das soluções baseadas nas estratégias.

Frequentemente, elas são definidas para um período de até 3 meses, onde periodicamente se analisa as métricas e resultados para continuar com os próximos passos.

Leia também: Como construir times ágeis e inovadores?

3- Camada tática

Por fim, temos a camada tática. O foco aqui é voltado para o desenvolvimento, entrega da estratégia e da operação desse plano.

A ferramenta que nos apoia agora é o backlog. Cada integrante do squad terá responsabilidades definidas de acordo com as OKR’s daquele ciclo.

Assim, fica mais fácil a definição das prioridades do time e todos andam com foco em alcançar o mesmo propósito, cada um em sua área de atuação.

Com essa definição, fica mais fácil cada um gerir seu tempo e mantém a comunicação entre as partes internas.

Conclusão

Enfim, acho que agora deu para entender que, com a construção de um roadmap, fica fácil o alinhamento com os stakeholders e o time, não é?

O backlog mantém a organização e mostra a evolução do projeto internamente. Já o roadmap como um todo, mantém o cliente por dentro de todo o processo de criação do seu produto.

Em conclusão, esperamos que esse artigo te ajude a destravar a sua estratégia. Se quiser mais dicas ágeis e rápidas, nos siga em nossos canais digitais para não perder nada. É só procurar por Os Agilistas!