Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Como é a transformação digital em uma indústria de base?

Como é a transformação digital em um grupo industrial de base que tem atuação global? Em nosso episódio #149 convidamos o Head of Cloud Centre of Excellence da RHI Magnesita, uma empresa que é líder global da indústria de refratários, José Roberto Bolognani. A conversa foi muito proveitosa e falaremos sobre os principais assuntos neste artigo. 

A indústria de refratários é a base da cadeia produtiva do manufacturing 

Se você acha que o refratário não é algo importante para a cadeia produtiva de outras indústrias, você está completamente enganado(a). Ele está dentro do processo de produção de todas as grandes indústrias. Um carro que está andando na rua, por exemplo, passa por, pelo menos, uma parte do processo do refratário. Toda fábrica, de alguma maneira, demanda refratário. 

O uso de tecnologia inovadora utilizando o refratário 

A RHI Magnesita trabalha com um volume de tecnologia muito amplo para garantir a qualidade e a longevidade do refratário. Hoje, a empresa é líder reconhecida da indústria pela sua tecnologia inovadora. Por isso, José Roberto Bolognani expôs que o slogan da RHI é ‘’levar a inovação para 1200°C e além’’. Só é possível chegar a essa temperatura com uma tecnologia grande e eficiente. 

Transformação na indústria de base

Dessa forma, a empresa está cada vez mais digital, coletando inúmeros dados para ter uma análise melhor do que está acontecendo com os clientes e quais são as suas necessidades. A transformação digital consegue integrar a indústria, além de ajudar no acompanhamento de dados. 

O que é ser Customer Centric? 

Customer Centric significa colocar o cliente no centro. Ou seja, é uma estratégia de negócios em que o cliente se localiza no meio de todas as decisões da empresa que passa pela transformação digital. 

Sempre existiram frases prontas no mercado de trabalho como ‘’o cliente tem sempre razão’’ ou ‘’coloque o cliente em primeiro lugar’’, dentre outras. Essas expressões têm como intuito colocar o cliente no centro do negócio. O que é, basicamente, a premissa do Customer Centric. 

No podcast, José Roberto exprime que é fundamental entender o comportamento dos clientes para fazer decisões e melhorias em cima disso. Se a empresa não entende o que acontece dentro do processo produtivo dos seus clientes, ela não consegue prover serviços para eles. O serviço e o resultado são baseados no que a empresa sabe sobre seus consumidores. 

Há uma complexidade muito grande em cada processo produtivo, por isso a RHI Magnesita tem uma variedade ampla de serviços. Em questões regionais, para entender como um cliente funciona, basta pensar, por exemplo, que o consumidor que mora na Rússia vai necessitar itens totalmente diferentes do que o consumidor que mora no Brasil. O refratário que atende o processo produtivo de um país não é o mesmo do que o de outro. Os choques de temperatura que cada país tem impacta diretamente na vida útil do produto. Com isso, entender essas diferenças dos clientes é fundamental para a empresa. 

Transformação digital e negócios

Outro ponto que foi abordado no podcast foi a questão a respeito da TI (Tecnologia e Informação) estar mais integrada ao business. O tema foi abordado junto à transformação digital, que tem sido cada dia mais presente na realidade das organizações. 

Para várias pessoas, a TI não tem valor. Ela é vista como um problema e não como uma tecnologia facilitadora. Quando se aproxima a TI do business, ajuda para que ambas as partes tenham um nível de sucesso maior, além da empresa agregar um valor superior. É preciso que a TI conheça o negócio para ajudar nas soluções e não só resolver problemas. 

A indústria de base pode virar uma plataforma no futuro? 

Uma indústria tradicional como a RHI Magnesita pode virar uma plataforma sem dúvidas alguma. Na empresa há uma variedade de serviços em diferentes cenários. Desse modo, ter uma plataforma em que os clientes possam consumir os produtos é muito interessante e proveitoso. 

‘’A plataforma é logo ali, o próximo step, é o futuro.’’ – José Roberto Bolognani 

Gostou do conteúdo? Ouça o episódio completo, nele falamos de outros tópicos que são complementares aos que trouxemos nesse artigo.